Festival Brasil Ride será realizado entre os dias 21 e 23 de agosto, em Botucatu, na Cuesta Paulista.

Atenta ao momento em que a humanidade vive, com a pandemia do Novo Coronavírus (Covid-19) assolando o mundo inteiro, a principal agência promotora de eventos ciclísticos no País, Brasil Ride, anuncia uma importante alteração em seu calendário. O Festival Brasil Ride, que chega este ano à sua oitava edição, tem nova data: será realizado entre os dias 21 e 23 de agosto, em Botucatu, na Cuesta Paulista.

Última edição (Foto: Wladimir Togumi / Brasil Ride)

“As atrações e mudanças são sempre para coisas positivas, e isso nos leva a mudar o formato do Festival. O prólogo será mais dinâmico e urbano, envolvendo a população de Botucatu, na noite de sexta-feira (21), para que o mountain bike seja um entretenimento e possa animar as pessoas do município. A etapa mais longa passa a ser a do sábado (22) e no domingo teremos uma distância média, com a decisão do Warm Up Pro sendo realizada no padrão Brasil Ride, curta e dura”, conta Mario Roma, fundador ad Brasil Ride.

“O Warm Up Sport irá competir no mesmo percurso da Pro, em um desafio novo para os participantes. Todos que competirem no Festival, em Botucatu, terão uma grande conquista tendo em vista o momento que estamos passando. Todos serão mais fortes até lá. Outro destaque do evento será a E-MTB, pela primeira vez com três dias de disputa, fato inédito para a modalidade no País”, acrescenta Mario Roma.

No Warm Up Pro, o prólogo contará com 12 km e 217 m de altimetria acumulada, seguido por 110 km na etapa Rainha e 2.700 m de desnível altimétrico, encerrando com 66,2 km e 1711 m no terceiro e último dia. O Warm Up Sport contará com 71 km e 1200 m de altimetria, enquanto o E-MTB terá as três etapas com 5,2 km (217 m), 12 km (217 m) e 70 km (1.711 m).

“O nome Botucatu é de origem Tupi-Guarani (Ybytu-Katu) e significa bons ares e a cidade espera todos de braços abertos no mês de agosto para o maior festival de esportes outdoor do Brasil. Nosso evento fomenta a economia na Cuesta, tanto que, em 2019, foram movimentados mais de 10 milhões de reais, na região entre Botucatu e Pardinho, chegando até Bauru e demais cidade vizinhas. As rodas das bikes giram e a economia também”, completa Roma.

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário