Confira as dicas de Gisele Gasparoto.

Estamos vivendo tempos de reinvenção, dúvidas, ansiedades e, uma das atividades que mais nos faz sentir vivos e libertos, também esta sendo tirado de nós aos poucos.

Quem mora em São Paulo, já está sentindo há mais tempo a dificuldade de pedalar ao ar livre e quem ainda está saindo, acaba fazendo treino solo. Como manter-nos otimistas e com o treinos em dia quando não temos perspectiva de como as coisas vão caminhar? Não temos mais provas no calendário, então, treinar pra que, não é mesmo? Errado! 

Sei também que muitos ciclistas torcem o nariz para as novas tecnologias, mas, para esses eu digo: Temos que evoluir junto com o mundo. E se temos tecnologia para ajudar-nos a treinar, por que não? 

Existem rolos inteligentes e também aplicativos que simulam corrida, como um vídeo game. E você não precisa ter um rolo inteligente para estar num aplicativo de simulação de corrida / percursos como o Zwift. Basta você ter medidor de potência ou até mesmo, apenas o medidor de cadência e velocidade para conectar. 

Já estou vendo algumas assessorias passarem desafios em ambientes virtuais e também já vi algumas provas serem organizadas pelo Zwift. 

Ontem, 05/04 o Tour de Flanders foi disputado virtualmente e transmitido ao vivo pelo Youtube. Ainda pelo Zwift, a organização do Haute Route (uma prova de 7 dias na montanha), também organizou 3 dias de pedal pelo Zwift. Foram vários horários por dia e em cada horário tinha cerca de 3 a 6 mil pessoas participando em cada horário, pasmem! Não vai demorar muito para que outras provas sigam pelo mesmo caminho.

Esse é o futuro? Não sei… Confesso que eu nunca fui amante dos rolos de treinamento, sempre preferi sair pra rua, mas, acho que o papo aqui não é muito sobre querer, gostar, mas sim, PRECISAR. 

Marcar treinos virtuais com seu time e amigos também faz toda diferença na motivação. Principalmente se, além de tudo, ligar o Zoom ou outro aplicativo por vídeo para manter o contato visual com seus parceiros de pedal. 

Então, gente, não tá bom pra ninguém. Estamos todos no mesmo barco, só nos resta agora fazer nossa parte e tornar essa quarentena o mais prazerosa possível, trabalhando com o que temos e torcendo para que tudo isso passe e que em breve, possamos nos encontrar pessoalmente nos treinos e provas. 

Bons treinos!

Sobre o autor

Gisele Gasparotto

Gisele Gasparotto

Administradora de Empresas, com MBA em Gestão Empresarial pela FGV, e sócia-fundadora da LuluFive. Ciclista profissional desde 2009. Desenvolveu uma metodologia para ensinar técnica de ciclismo de estrada para mulheres.
___
Escreve toda primeira e terceira quartas-feiras do mês.

Deixe um comentário