Em tempos de pandemia coronavírus, o ciclismo tem encontrado nas corridas virtuais um alento. O Giro d’Italia lançou sua versão, com sete etapas, que começou neste final de semana. A participação é aberta e gratuita, basta ter uma conta Garmin Connect e se inscrever em www.garminvirtualride.com/it

O italiano Elia Viviani está na disputa virtual

São quatro categorias: Pro, Feminino, amador e Legends.

“Enquanto esperamos o retorno da nossa amada corrida às estradas da Itália, nós pensamos que um Giro d’Italia Virtual poderia ser uma experiência envolvente. Nós escolhemos sete etapas, cada uma de natureza diversa, para satisfazer ciclistas com características diferentes. O evento tem vários desafios, como a chegada em Tortoreto, as subidas a Nove Colli, as chegadas ao alto em Madonna Di Campiglio e Sestriere (com mais de 1000 metros de altitude em seus 30 km finais), e o contrarrelógio de 15,7 km em Milão”, explica Mauro Vegni, diretor do Giro d’Italia.

Na etapa de abertura, no sábado, na corrida dos profissionais, a Astana saiu na frente, com Alexey Lutsenko (44’41” , o melhor tempo individual) e Davide Martinelli, que cruzou a linha de chegada virtual em primeiro, com um tempo combinado de 1h35’04” , e abriu 6’46” de vantagem na classificação geral. A seleção italiana, com Elia Viviani e o Sub-23 Samuele Zoccarato, é a vice e a equipe Bahrain-Merida, com Fred Wright e Grega Bole, é a 3ª, a 9’40”.

Na corrida das mulheres, a classificação geral é liderada pela Trek-Segafredo (tempo combinado de 2h10’04” ), graças às performances de Elisa Longo Borghini (mais rápida, com 1h01’02) e Lizzie Deignan, com vantagem de 4’18” sobre a seleção italiana, representada por Maria Giulia Confalonieri e Arianna Fidanza. A equipe Movistar é a 3ª, a 11’03”.

A corrida virtual vai angariar fundos para a Cruz Vermelha italiana. A organizadora RCS Sport criou uma rede de doações (www.retedeldono.it/giro) e a patrocinadora Castelli se comprometeu a doar 5 euros para a Cruz Vermelha italiana para cada camisa do Giro que vender on-line (http://castelli-cycling.com/)

“Toda esta iniciativa realmente é grande. Em um momento como este serve para dar uma resposta aos fãs do esporte e angariar fundos para a Cruz Vermelha italiana. Como atleta, eu estou mais do que feliz em participar. É um verdadeiro desafio’, disse o campeão europeu Elia Viviani.

Fonte: bikemagazine.com.br

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário