Manter sua bike guardada corretamente é a garantia de uma volta aos pedais sem surpresas.

Seja pelo problema atual que passamos por causa do novo coronavírus ou por qualquer outro motivo, manter sua bike guardada corretamente é a garantia de uma volta aos pedais sem surpresas.

Apesar do momento atual nos atingir nesse sentido, ter que deixar a bike guardada não é uma novidade em países com inverno rigoroso e as consequências de largar a bicicleta de qualquer maneira, sem qualquer cuidado, são claras.

Aqui vão algumas dicas do que fazer com sua bike antes de deixá-la parada por um tempo.

O que fazer antes de deixar minha bike parada ?

  1. Lave a bicicleta
  2. Seque a bicicleta
  3. Lubrifique a engraxe da forma correta
  4. Mantenha pneus cheios e tenha cuidados com o tubeless
  5. Deixe a bicicleta na posição horizontal
  6. Cuidados extras com baterias
  7. Mantenha os câmbios com a mola recolhida

1 – Lave a bicicleta

Jamais guarde sua bike suja, principalmente com lama. A sujeira é uma das principais inimigas da bike e de seus componentes, pois mesmo com ela parada, acelera processos de degradação da pintura e de ferrugem do quadro e demais componentes.

Portanto, aproveite o tempo livre e lave sua bike, lembre-se de utilizar produtos específicos para bicicletas, como sabões, shampoos e desengraxantes. Fuja de receitas caseiras mirabolantes e solventes não adequados que limpam tudo, mas podem danificar mais a sua bicicleta do que a sujeira e a graxa que você pretende limpar.

Cuidado também com o uso de lavadoras de alta pressão que, quando mal direcionadas, pode fazer com que a água chegue a locais indesejados, como rolamentos de cubos, movimentos centrais e links da balança.

2 – Seque a bicicleta


Parece besteira, mas sempre que a bike é lavada em um bike shop ela é seca com ar comprimido. Até mesmo quando você lava em casa, em geral não demora muito até o próximo pedal, que vai ajudar na secagem. Porém, se a bike for ficar guardada, seque a bike após a lavagem, inclusive todos aqueles cantinhos pequenos e pouco acessíveis.

Se preciso, retire o canote e vire a bike de ponta cabeça para expurgar qualquer água que por ventura tenha ficado dentro do quadro. O processo de ferrugem do quadro e do movimento central, por exemplo, quando acontece de dentro pra fora, só é percebido quando muito avançado e muitas vezes é irreversível.

Aproveite para durante a secagem inspecionar seu quadro e os componentes em busca de rachaduras e qualquer outro tipo de avarias.

3 – Lubrifique a engraxe da forma correta

Lubrificar a corrente após a lavagem é a forma adequada de preservá-la contra a ferrugem. Não há a necessidade de aplicar lubrificante em excesso, siga as recomendações de aplicação do fabricante do seu lubrificante e será suficiente.

Contudo, fique atento ao uso de lubrificantes a base de cera, pois eles não protegem a corrente da ferrugem. Neste caso, use lubrificantes a base de óleo.

Outra possibilidade interessante para combater a oxidação é aplicar algum lubrificante aerossol ou desengripante no sistema de mola dos pedais. Para ciclistas mais experientes, engraxar a parte externa dos rolamentos da caixa de direção é uma boa ideia também para afastar a oxidação desses componentes.

4 – Mantenha pneus cheios e tenha cuidados com o tubeless


Manter os pneus cheios evita rachaduras e deformações da borracha. Não é necessário usar a mesma calibragem que você usa para pedalar, principalmente para bicicletas de estrada. Metade da calibragem que você usa normalmente já é o suficiente. A calibragem mais baixa evita estouros e vazamentos.

Outras dicas importantes é manter os pneus em um local escuro e arejado ou, no mínimo, não exposto diretamente a luz solar e a altas temperaturas. Raios UV e calor aceleram a degradação dos compostos da borracha.

Se você usa selante no seu pneu (ou na sua câmera de ar), é importante girar as rodas por alguns minutos algumas vezes durante a semana. Isso evita que este se deposite em um único local, formando um caroço de látex e eventualmente deformando o pneu definitivamente. Quanto maior for a frequência desse procedimento, menores são as chances de você ter algum problema.

5 – Deixe a bicicleta na posição horizontal


Mantenha a bike com as rodas para baixo, na posição natural da bicicleta. Evite-a deixar por longo tempo na vertical e jamais de ponta cabeça, assim você previne que bolhas de ar do sistema hidráulico de freios se desloquem para a pinça (caliper), onde vão prejudicar significantemente o funcionamento dos seus freios.

Além disso, na posição horizontal os óleos das suspensões e canotes hidráulicos ficam também acomodados no local correto dentro do sistema e previne vazamentos e contaminação.

6 – Cuidados extras com as baterias

Para bikes elétricas ou com sistema eletrônico de transmissão, atentem-se às recomendações dos fabricantes quanto a preservação da bateria durante longas pausas de uso. Manter a bateria carregada entre 30-70% é o mais indicado na maioria dos casos.

Deixar a bateria completamente carregada (100%) ou descarregada (0%) pode potencializar o processo natural de degradação da bateria. Não guarde bicicletas com sistemas elétricos em local úmido e quente. Se não houver opção, retire a bateria e guarde-a em local fresco e seco, longe de materiais inflamáveis como tecidos, botijão de gás e madeira.

Essa dica também vale para ciclocomputadores, lanternas ou qualquer componente com bateria recarregável. Nos que usam pilha comum, estas devem ser retiradas.

7 – Mantenha os câmbios com a mola recolhida

A melhor posição para as marchas enquanto sua bike estiver parada são com os câmbios recolhidos, isto é, câmbio traseiro no menor pinhão e câmbio dianteiro na menor coroa. Dessa forma você preserva as molas do câmbio que ficam sob menor pressão, aumentando a vida útil do equipamento, e também preserva os cabos que ficam sob menor tensão, esticando menos, assim mantendo a regulagem da marcha por maior tempo.

Fonte: pedal.com.br

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário