Estudo mostra cuidado importante ao tomar em exercícios ao ar livre durante a pandemia.

Em muitos países, caminhadas, ciclismo e corrida são atividades bem-vindas nestes tempos do COVID-19. No entanto, é importante observar que é necessário ter muito mais cuidado em atividades assim. Isso é o que mostra um estudo realizado pela Universidade Católica de Lovaina (Bélgica) e Universidade Tecnológica de Eindhoven (Holanda).

A regra típica de distanciamento social que muitos países aplicam entre 1 e 2 metros parece eficaz quando você está parado dentro ou mesmo fora com vento fraco. Mas quando você vai passear, correr ou andar de bicicleta, é melhor ter mais cuidado. Quando alguém durante uma corrida respira, espirra ou tosse, essas partículas ficam para trás no ar. E a pessoa correndo atrás de você atravessa essa nuvem de gotículas.

Os pesquisadores chegaram a essa conclusão simulando a ocorrência de partículas de saliva de pessoas durante o movimento (andando e correndo), de diferentes posições (próximas umas das outras, na diagonal atrás uma da outra e diretamente atrás uma da outra). Normalmente, esse tipo de modelagem é usado para melhorar o nível de desempenho dos atletas. Mas, ao olhar para o COVID-19, a recomendação é ficar fora do fluxo, de acordo com a pesquisa.

Os resultados do teste são visíveis em várias animações e visuais. A nuvem de gotículas deixadas para trás por uma pessoa é claramente visível. “As pessoas que espirram ou tossem espalham gotas com uma força maior, mas também as que respiram deixam partículas para trás”. Os pontos vermelhos na imagem acima representam as maiores partículas, que criam a maior chance de contaminação, mas também caem mais rapidamente. “Mas, ao atravessar essa nuvem, eles ainda podem pousar em sua roupa”, diz o professor Bert Blocken.

Fora das simulações, parece que o distanciamento social desempenha um papel menos importante para 2 pessoas em um ambiente de vento fraco ao correr ou caminhar próximo um do outro. As gotículas caem atrás da dupla. Quando você está posicionado na diagonal um atrás do outro, o risco também é menor. O risco de contaminação é maior quando as pessoas ficam logo atrás uma da outra, no fluxo de deslizamento uma da outra.

Com base nesses resultados, é aconselhável que, a distância entre pessoas que se movem na mesma direção, em uma linha, deve ser de pelo menos 4-5 metros; para corrida e ciclismo lento deve ser de 10 metros; e para ciclismo duro, no mínimo 20 metros. Além disso, se você estiver pedalando, ao passar por alguém, é aconselhável que você já esteja em uma faixa diferente a uma distância considerável, por exemplo, 20 metros.

Fonte: Revista Bicicleta

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário