Entenda como a bike pode transformar a vida das crianças.

Quando somos crianças queremos brincar, criar experimentos e explorar o mundo. Nesta fase, evoluímos a todo tempo, estimulados por tudo a nossa volta e por nossos relacionamentos pessoais. Mais tarde percebemos que as lembranças que ficam na nossa memória remetem à brincadeiras e sentimentos cheios de sabores e cheiros.

“Brincar estimula e contribui de forma prazerosa no desenvolvimento global da criança (inteligência, afetividade, motricidade e sociabilidade), desenvolvendo também o espírito de iniciativa, autonomia, poder de decisão, enfim, a sua personalidade”, explica Adriana Nascimento, educadora física e multicampeã do mountain bike.

A bicicleta exerce um papel de destaque na infância “é um brinquedo que oferece muitos benefícios para o desenvolvimento motor, cognitivo e afetivo nas fases do desenvolvimento infantil. O modelo de bike sem pedal, como a Specialized Hotwalk, garante uma brincadeira que estimula o equilíbrio, ritmo e coordenação dos movimentos” acrescenta Adriana.

E neste contexto de estimular a formação de novos ciclistas e promover um mundo melhor, a Specialized realizou o concurso cultural para as crianças pintarem suas próprias bikes em meio à pandemia do COVID-19. No entanto, muito mais do que uma simples ação, a marca fortaleceu o vínculo entre pais e filhos de forma divertida.

“Foi um ótimo estímulo para pais e filhos resgatarem uma brincadeira simples, mas muito completa para o desenvolvimento infantil porque crianças aprendem e desenvolvem suas capacidades brincando! Quem dedica um pouco de tempo para desenhar e pintar com as crianças estimula a criatividade, coordenação motora, fortalecimento emocional, e planta a semente da vontade de pedalar,” adicionou Adriana.

Com isso, crianças entre 3 e 12 anos fizeram centenas de pinturas com total liberdade criativa para fazer artes personalizadas e, posteriormente, publicando nas redes sociais com as hashtags: #PinteasuaBicicleta #PequenosCiclistas #PinteasuaSpecialized #DeixeaBicicletaemCasa para concorrer a bicicleta dos sonhos. “Recebemos verdadeiras obras de arte. É muito gratificante e nos enche de esperança ver a quantidade de futuros ciclistas que temos em nosso país” publicou o time da Specialized Brasil.

Os desenhos foram selecionados pelos atletas do time Specialized Racing BR, um por região do país: “Proporcionamos para as famílias um momento de imaginação, criatividade e leveza em uma fase tão atípica e incerta que estamos vivendo. Foram muitos desenhos e mensagens lindas,” afirma a atleta Isabella Ribeiro, de Belo Horizonte (MG). “Ganhar uma bicicleta personalizada é o sonho de qualquer criança. O feedback foi muito positivo,” comemorou disse Nataniel Giacomozzi, de Ibirama (SC). “Optei por pinturas que gostaria de ver ao vivo, alegres e criativas que representassem todo o espírito do sonho infantil na bike,” complementou a triatleta Pâmella Oliveira.

O fato é que bicicleta é uma invenção secular de transporte e instrumento de transformação pessoal que promove benefícios sem prazo de validade. “Dos 4 a 6 anos de idade, quando as crianças já pedalam, elas desenvolvem as capacidades físicas (agilidade, velocidade, destreza), qualidades físicas (força e resistência), além da oportunidade de maior interação com o ambiente e seus desafios variados, mas sempre brincando. E dos 7 aos 12 anos, na fase dos movimentos especializados, quando as crianças são capazes de desempenhar atividades relacionadas ao esporte e recreação, a bicicleta também desenvolve valores sociais mais complexos como respeito, companheirismo, solidariedade, além do desenvolvimento de superação e confiança,” descreve Adriana.

O caminho para construir essa memória afetiva positiva nas crianças passa sempre pelas brincadeiras e influência direta de familiares e amigos:

“Tenho ótimas lembranças com bike. Minha mãe apresentou seu amor pela bicicleta. Antes de virar nadadora, todo natal eu pedia de presente uma bicicleta ou um cachorro. Foi mais fácil ganhar a bike e ficava ficava andando de um lado para o outro. A primeira prova que participei foi com minha bike rosa com cestinha!” revela a triatleta Vittória Lopes.

“Ganhei minha primeira bicicleta aos 3 anos. Meu pai foi jogador de futebol profissional, com isso toda minha infância foi com bola e bicicleta. Como nunca tive o dom com a bola, a bicicleta era uma ferramenta para as brincadeiras, sempre montando pistas, rampas e quebrando/consertando os equipamentos. Tudo isso me deu base para fazer o que amo hoje. Acredito que a bike é uma ferramenta que pode mudar o mundo. Ela mudou minha vida e vejo o poder da bicicleta influenciando as crianças na minha cidade por proporcionar mais conexão com a natureza, de poder conhecer pessoas e viajar,” afirma Nata.

“Só lembro de andar de bike todos os dias. Nas minhas pernas não tem mais espaço para cicatrizes de tanto tombo que já levei de bike. Uma vez meu avô me deu uma bicicleta com freio e me avisou para não apertar o freio da roda dianteira com força, pedalei 100 metros e apertei o freio e saí voando por cima da bicicleta. É uma história que guardo até hoje”, se diverte Alex Malacarne, campeão brasileiro junior de MTB.

“Uma brincadeira que eu gostava muito era apostar corrida com o trenzinho ao longo da avenida principal da cidade. Nem imaginava que de forma lúdica, estava desenvolvendo capacidades para virar uma atleta no futuro!” completa Adriana Nascimento, natural de Campos do Jordão (SP).

Fonte: Revista bike action

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário