Ciclista refere-se ao grave acidente sofrido no ano passado durante o Critérium du Dauphiné.

Apesar da não estar saindo de casa para treinar durante a quarentena da Covid-19, o britânico Chris Froome afirma que sua vontade de retornar ao pódio em Paris, vestindo a camisa amarela de campeão do Tour de France pela quinta vez, segue mais forte do que nunca.

O atleta ainda revelou que sua maior fonte de inspiração é olhar para as fotos de suas lesões sofridas no grave acidente que aconteceu em Junho do ano passado (Foto: ASO)

Segundo uma entrevista concedida ao jornal francês L’Equipe, Froome teria batido a marca de 30 horas pedaladas no rolo em uma semana como forma de preparação para o Tour de France 2020, competição que foi adiada e, ao menos segundo a organização, deve começar no final de agosto.

O atleta ainda revelou que sua maior fonte de inspiração é olhar para as fotos de suas lesões sofridas no grave acidente que aconteceu em Junho do ano passado, quando ele colidiu contra uma parede a 70km/h durante o reconhecimento do percurso do Critérium du Dauphiné, causando inúmeras fraturas em seu corpo.

“Quando me aposentar, meu sonho é ter mais vitórias do que qualquer outro atleta. Este seria o cenário perfeito, mas sei que tenho muito trabalho pela frente”, afirmou o atleta.

Porém, com 35 anos, manter o auge da forma certamente vem se tornando uma tarefa cada vez mais difícil para Froome. Porém, com o acidente e sua longa e difícil recuperação, Froome encontrou em seu a energia para continuar tentando vencer mais um Tour de France.

“Seria incrível”, afirmou o atleta em uma Live. “Seria com certeza uma das maiores histórias de superação no esporte”, comentou Froome.

“Dito que a recuperação foi um sucesso e minha carreira, este é o plano e gosto de pensar que tenho chances de conseguir. Nada está escrito na pedra ou é dado no esporte, mas tenho experiencia, muita motivação e quero fazer acontecer”, complementou Froome.

“Olhar para as fotos me da muita motivação. Algumas coisas bem feias e pesadas, pedaços de osso saindo para fora. Eles me lembram de como eu fui longe nos últimos meses. É algo que quase já apaguei da minha mente, mas é muito motivador pensar que faz menos de um ano e agora estou totalmente de volta aos treinamento, e esperando vencer um Grand Tour este ano. É um contraste incrível”, finalizou.

Fonte: pedal.com.br

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário