Ex-ciclista revela infância turbulenta em primeira parte de filme dobre sua vida.

Lance Armstrong voltou aos holofotes nas últimas semanas. A vida do ex-ciclista americano, pivô de um dos maiores escândalos de doping da história, está sendo contado no documentário “Lance”, produzido pela ESPN. No domingo, a primeira parte da história foi exibida e retratou a infância turbulenta do ex-atleta. Ele revelou que era espancado pelo padrasto, Terry Lance.

Se eu deixasse uma gaveta aberta, ele puxava o taco da fraternidade e me espancava

Lance

Terry também foi ouvido pelo documentário e reconheceu que era duro com Lance sobre a limpeza do quarto. Ele admitiu que comandou o enteado como um animal, usando punição corporal e um estilo disciplinar de um capataz que influenciaram na personalidade do ex-ciclista.

Lance não seria o campeão que ele é hoje sem mim, porque eu o guiei. Eu o guiei como um animal. Essa é a única coisa com a qual me sinto mal. Eu o fiz muito “vencer a todo custo”? Eu era um capataz, mas não o abracei o suficiente e disse que o amava. Eu estava sempre lá, sempre treinando ele, sempre exigindo. Mas não mostrei a ele o amor que deveria ter

Terry

A primeira parte do documentário “Lance” foca nos primeiros anos da vida do atleta. No próximo domingo, a segunda parte será exibida e abordará as questões relacionados ao esquema de doping comandado pelo ex-ciclista. Lance já adiantou que conta no filme que começou a se dopar aos 21 anos. Ele admitiu que o doping foi a causa do seu câncer nos testículos.

Fonte: Globo Esporte

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário