Usar ou não a máscara para pedalar passa primeiro pela lei, mas a discussão vai muito além.

Durante a pandemia da Covid-19, muitas cidades no mundo adotaram severas medidas para conter a proliferação do novo Coronavírus. Dentre elas, além do isolamento social, o uso da máscara foi destacado como importante para que a doença se alastre menos.

Porém, para o praticante de atividades físicas ao ar livre como corridas e ciclismo, o uso da máscara gera bastante dúvidas. No texto abaixo, confira as informações básicas sobre o assunto que debatemos com o médico Dr. Eduardo Davidovich (CRM 5260910-0), com doutorado em neurologia pela universidade federal Fluminense (UFF).

O que diz a lei sobre uso de máscaras ?

No momento no Brasil, a obrigatoriedade do uso de máscaras varia de estado para estado e de cidade para cidade. Por isso, confira qual é a regulamentação no local que você vive. Se for lei, você deve usar a máscara.

Existe um projeto de lei que prevê o uso obrigatório de máscaras em locais públicos em todo o território nacional. No momento, o texto foi aprovado pelo Senado, mas como foi modificado, voltará para a Câmara dos Deputados para nova votação. Depois, ele ainda precisa ser aprovado pelo presidente.

Basicamente, o texto torna obrigatório o uso de máscaras de proteção individual para circulação em espaços públicos e privados acessíveis ao público, assim como em vias públicas e em transportes públicos coletivo, durante a vigência da emergência de saúde pública por causa da pandemia de covid-19.

O que diz a ciência sobre atividades físicas com máscara ?

No momento, não existe consenso cientifico sobre o grau de eficácia no combate à doença ao usar máscaras durante treinamentos ao ar livre. Porém, os cientistas concordam que a máscara reduz a velocidade de proliferação do vírus em outras situações, como ambientes fechados.

Estudos científicos não são fáceis e levam tempo para serem concluídos, algumas vezes não trazendo uma resposta exata, mas sim parte da resposta ou recomendações. Abaixo dois estudos trazem resultados diferentes.

Estudo sugere que o vírus se espalha mais durante atividades físicas

Há algumas semanas, um grupo de cientistas belgas e holandeses publicou um estudo afirmando que gotículas se espalham mais amplamente pelos efeitos aerodinâmicos da velocidade de corredores e ciclistas – a pesquisa, porém, ainda não passou pelo processo de avaliação por pares.

Outro estudo sugere que vírus se espalha menos em meio externo
Para outros pesquisadores, o meio externo é menos propenso a proliferação do Coronavírus. Um estudo feito na China com 7300 casos indica que apenas um decorreu de um ambiente externo.

Complicando ainda mais – OMS vs Testes

De forma surpreendente, a OMS alega sem muito mais explicações que “Além de tornar a respiração mais desconfortável, o suor pode molhar a máscara, deixando-a mais pesada, dificultando, ainda mais, a captação de ar e promovendo o crescimento de vírus e bactérias”.

Ao mesmo tempo, o vídeo abaixo feito pelo Dr. Alexandre Carvalho traz um teste real com a atleta de vôlei de praia elite Ágatha Bednarczuk, que mostra que apesar da sensação ruim, não houve problema no uso de máscara.

Bandanas e Balaclavas como alternativas às máscaras

O principal ponto de reclamação de quem tenta fazer atividade física com máscara é que elas são muito incômodas, ficam empapadas de suor e algumas vezes ficam saindo do rosto.

Segundo o Dr. Eduardo Davidovich, apenas máscaras especializadas como a N95 são capazes de filtrar o vírus e proteger o praticante, mas elas tornam a respiração muito difícil, deixando seu uso inviável para esportes. Porém qualquer tipo de máscara, incluindo bandanas, ajudam muito a evitar que o praticante espalhe gotículas de saliva que podem contaminar outros.

Além disso, esses acessórios podem ter material que seca mais rápido de suor e são mais práticos de usar, já que podem ficar pendurados no pescoço mesmo sem estarem em uso.

Por que pedalar de máscara / bandana ?

Cumprir a Lei

Se é lei, é preciso cumprir. Não há contrapontos quanto a isso.

Um lembrete para não tocar no rosto

Um grande “efeito colateral” de usar máscara é que, como nunca tivemos o costume de usá-la, ela acaba sendo naturalmente um lembrete de que você não deve tocar o seu rosto quando não tiver com a mão lavada.

Vale lembrar que o uso da máscara é para evitar a propagação do vírus e contaminação pelo ar. Mas ainda é preciso ficar atento às superfícies contaminadas. Você ainda pode se contaminar em situações em que houver toque.

Responsabilidade social e imagem do ciclista

Independente da obrigatoriedade, vale o bom senso. Pode ser que a grande parte do seu treino seja sozinho, em áreas afastadas, mas use a máscara quando voltar a trechos urbanos em que você irá passar por outras pessoas. Você nunca terá certeza se está infectado e transmitindo à outros.

Recentemente no whatsapp circulou uma mensagem sobre moradores de cidades pequenas vendo muito negativamente ciclistas e corredores, por não usarem máscaras e ainda entrar em pequenos comércios antes e depois de treinos, com respiração ofegante. Apesar de não sabermos a veracidade da mensagem, é uma questão de bom senso. Temos que dar o exemplo e não fazer o oposto “por que estou ofegante e a máscara me atrapalha”.

Mesmo se não usar durante o pedal, leve uma máscara com você
Como dito acima, mesmo se não for obrigatório na sua região e você não quiser usar durante a atividade, leve uma máscara consigo, para se você for entrar em algum lugar para comprar água, alimentos ou mesmo abastecer o carro.

Por que não pedalar de máscara ?

Se pedalar de máscara é incômodo demais, use a bandana ou outro tecido. Se ainda assim é ruim, a única solução é pedalar mantendo o máximo de distância para outros. Ainda assim, segue a recomendação de levar uma máscara, caso você precise se aproximar a outros quando parar.

Outras dicas

Não esqueça o álcool em gel
Lembre-se também de ter a mão um pouco de álcool gel caso tenha que manipular objetos como máquinas de cartão de crédito ou mesmo as coisas que você comprou e também a própria máscara. Tocar uma superfície e depois tocar a máscara, traz risco de contaminação.

Mantenha a distância social
Além disso, caso esteja em um local mais movimentado, preste atenção nas pessoas ao redor de você e tente manter-se o mais distante o possível. Do mesmo jeito que a lei de trânsito pede pro ciclista proteger o pedestre, é uma questão de respeito o ciclista abrir distância ao ultrapassar um corredor ou caminhante. Para nós é mais fácil fazer esse desvio.

Não corra ou pedale diretamente atrás de ninguém e, se estiver sentindo qualquer sintoma, mantenha-se isolado até fazer um teste. Lembre-se que independente da máscara, existe sim um consenso sobre o distanciamento social.

Mantenha-se informado
Para finalizar, reforçamos que por ser uma doença nova, ainda não se sabe tudo e podem haver novas descobertas a qualquer momento.

Quanto antes seguirmos as recomendações, mais rapidamente sairemos da crise.

Fonte: pedal.com.br

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário