Projeto que começou recuperando trilhas em Divinópolis, Minas Gerais, deve se espalhar para os quatro cantos do Brasil.

No exterior, principalmente nos Estados Unidos, a cultura do trail building – construção de trilhas – é muito comum. Porém, aqui no Brasil, pegar uma pá e ir para o mato cavar e limpar é algo que não passa pela cabeça de muitos praticantes do esporte. E, com certeza, isso não é por mau.

Um dos maiores motivos para isso acontecer por aqui é que, durante muitos anos, o mountain biking foi praticado, principalmente, em estradas de terra, que normalmente tem manutenção feita pelo poder público. Com isso, boa parte das trilhas fechadas estilo single track acabam sendo deixadas à própria sorte, sofrendo bastante com a erosão e o acúmulo de mato – inevitavelmente, muitas delas acabam ficando inutilizáveis.

Além disso, obstáculos como saltos, curvas com parece e outros, praticamente, inexistem, já que eles devem ser construídos por alguém. No fim, a comunidade ciclística perde locais para se divertir e treinar, e os próprios atletas acabam ficando com o nível técnico menor.

Projeto Sense Trilhas

Para mudar este cenário, a Sense Bike criou o Sense Trilhas. Com o projeto, a marca nacional promete não só fazer a manutenção de trilhas em diversas cidades do Brasil, mas também ampliar a cultura da “cavação”.

“Trata-se de um projeto de construção e revitalização de trilhas”, afirmou Marlen Ferreira, marketing da Sense Bike e team manager da Equipe Sense Factory Racing.

“Nesta primeira fase, começamos por Divinópolis (MG), revitalizando um roteiro de 12Km com muito single track, na região dos bairros Serra Verde e Candelária. Além disso, revitalizamos mais 3 km de trilhas na região de Ermida, também em Divinópolis. Todas elas ficaram muito legais!”, explicou.

“Nosso objetivo é dar uma melhor experiência para aqueles que estão entrando no esporte agora. Queremos que as pessoas pedalem em trilhas bem feitas e bem conservadas, com nível técnico baixo e médio. Estamos criando locais bem democráticos, para que todos possam aproveitar”, complementou Marlen.

“Queremos trazer este conceito de conexão entre pessoas e trilhas não só para Divinópolis, mas também para outros lugares do Brasil. Ainda não temos um roteiro fechado, mas vamos estar presente em pelo menos mais quatro cidades brasileiros”, prometeu.

Na cidade mineira, os trabalhos começaram com um pedal para reconhecimento das trilhas, que permitiu descobrir quais deveriam ser os focos da manutenção. Depois, matérias primas como madeiras de doação foram preparadas e devidamente cortadas.

Apenas em uma terceira etapa o grupo, composto por profissionais da “cavação” e entusiastas do esporte, colocou a mão na massa, seguindo as orientações do experiente Diego Knob para deixar deixar as trilhas na melhor condição possível – ao todo, a revitalização demandou uma semana de trabalho com a presença muitos voluntários.

Inauguração oficial

Com a expectativa de percorrer outras localidades no Brasil, o Sense Trilhas promete deixar um legado de preservação, fortalecendo a cultura de integração que ainda faz muita falta em nosso país. Por isso, a ação contou com uma pedalada especial que aconteceu no último sábado, dia 4 de julho.

“Na inauguração da primeira fase do projeto, além de fazer um pedal para que parte da galera de Divinópolis pudesse conhecer as novas trilhas da cidade, também colocamos um marco para destacar esta colaboração que visa melhorar o esporte”, afirmou Marlen Ferreira.

“Queremos celebrar a parceria entre a Sense Bike e a comunidade ciclística de Divinópolis, representada pela Associação Divinopolitana de Ciclismo e pelo Instituto Pedalar”, finalizou.

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário