A evolução da pandemia coronavírus no Brasil obrigou a organização da Copa Internacional de MTB (CIMTB Michelin) a reorganizar seu calendário. A próxima etapa, que estava marcada para Taubaté (SP) em agosto, foi transferida para 6 a 8 de novembro. Já a etapa de Petrópolis (RJ) mudou para dezembro, de 4 a 6. A última etapa deste ano seria Congonhas (MG), que foi transferida para 2021 e deve ser realizada em fevereiro, em data ainda a ser confirmada.

A CIMTB e a Prefeitura de Taubaté estão investindo na construção da pista durante o mês de julho para que o local esteja disponível para treino e reconhecimento. Para deixar o percurso mais desafiador, a organização conta com a colaboração de Valmor Hausmann e Rodney Hofmann. A expectativa, é que, a partir de agosto, quando os parques de Taubaté abrirem, a pista esteja liberada para treino.

Em relação a Petrópolis, o percurso também está adiantado e quase concluído. Com assinatura de Henrique Avancini, a pista está ainda mais desafiadora do que no ano passado e uma grande equipe está comprometida no trabalho desde o início do ano. Como a pista está localizada dentro de uma área privada, para pedalar no local é preciso solicitar uma autorização e em breve serão divulgados os procedimentos para solicitação da permissão.

Já em Congonhas, um decreto suspendeu a realização de qualquer evento na cidade em 2020. Assim, a maratona de Congonhas deve acontecer no início de 2021, provavelmente em fevereiro. O formato do evento deve mudar em relação a 2019, já que a previsão é que a reforma da Romaria, local de largada da corrida e feira do evento, já tenha sido concluída e a feira voltará a ser realizada no local.

Além de tudo isso, a CIMTB estuda com a Prefeitura de Carandaí a realização de uma prova treino na Fazenda Sossego antes da reabertura do calendário de 2020. O treino será fechado apenas para atletas e equipes, sem a presença de público, para diminuir o fluxo de pessoas, e seguirá um rígido protocolo de segurança. O acesso será controlado e só entrarão atletas inscritos pela internet, com no máximo um acompanhante e identificados na ficha de inscrição. O objetivo é dar a oportunidade para atletas voltarem às competições aos poucos e ajudar no desempenho para 2020.

“Queremos fazer o melhor para as equipes e atletas, por isso estamos reestruturando todo calendário para que não haja risco para ninguém. Além disso, queremos manter as etapas de 2020, porém com alterações de datas como Congonhas por exemplo, que mesmo acontecendo em 2021 irá contar pontos para o campeonato de 2020 mantendo as mesmas categorias”, afirmou o organizador Rogério Bernardes.

“Além disso, também estamos elaborando um protocolo de cuidados para que competidores e equipe estejam seguros na CIMTB Michelin. É um trabalho em conjunto tanto para a organização quanto para aqueles que vão participar do evento. Acredito que esses protocolos também poderão auxiliar outros eventos de mountain bike”, finalizou Rogério.

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário