Local passou por melhorias e já tem aprovação de atletas. Evento está previsto para acontecer entre os dias 6 e 8 de novembro.

A pista de Cross Country Olímpico (XCO) da etapa de Taubaté da CIMTB Michelin está pronta. O percurso que está localizado no Parque Municipal Vale do Itaim já tinha o trajeto traçado e passou por modernizações para a realização da CIMTB Michelin que está marcada para de 6 a 8 de novembro. De acordo com o treinador Rodney Hoffmann, com as mudanças os atletas terão mais fluidez e diversão no percurso. E, segundo o construtor do percurso, Valmor Hausmann, a pista é marcada por saltos e também paredões para manter a fluidez.

“Era um percurso que não tinha muito obstáculo natural, era duro, mas não tinha árvores, raízes, ou pedras, por exemplo. Então aproveitamos bem o relevo e para modernizar o XCO, acrescentamos rampas e drops. E essa vai ser uma das pistas de XCO com mais saltos no Brasil. Enquanto em Araxá tem cerca de seis ou sete, em Taubaté são mais de dez, mas todos seguros e os mais difíceis com a opção de percurso alternativo, mais fácil. Também priorizamos as descidas para embalar para a subida e foram feitos paredões para garantir a fluidez e conseguir aproveitar a inércia da descida e conectar com a subida”, explicou Valmor.

Hausmann adiantou que a dica para os atletas é aprender a impulsionar a bicicleta para cima. “Conseguindo impulsionar a bicicleta de forma correta, o competidor encaixa bem a recepção para pegar velocidade. Tem saltos grandes e vai ser um desafio para grande parte do pessoal. Mas todos são fáceis, é só vir na velocidade e levitar a bicicleta. Está bem divertido”, afirmou.

Rodney Hoffmann contou que já havia um traçado na pista e que o lugar era usado para campeonatos regionais. “As mudanças levam a pista a acompanhar o avanço do mountain bike no cenário mundial. A pista conta com mais obstáculos e com isso ganhamos no nível técnico. O percurso está moderno e rápido e o atleta que competir vai precisar de muito conhecimento fisiológico já que agora o local conta com bastante rampas, descidas, curvas em nível e como consequência, muita fluidez. Isso vai ser muito legal”, afirmou. “Atletas que já testaram a pista, estão se divertindo muito e tenho certeza que vai agradar aos competidores”, comentou.

Quem já conheceu o XCO de Taubaté foi Stefanye Lindolfo do Time Hoffmann Taubaté que vai estrear na Elite. Ela contou que a pista de Itaim foi o primeiro contato dela com o MTB. “Comecei a pedalar por causa desse percurso, os obstáculos e desafios me encantaram. Ao longo do tempo ela foi ganhando forma e eu evolui junto. Meu palco central de treinos é nessa pista e tenho um carinho especial por ela. Hoje, a pista está incrível com um nível técnico mais elevado, o que contribui ainda mais para minha evolução. Dura e divertida. Amei os nomes de cada trecho, baseado nos personagens de Monteiro Lobato. Espero todos aqui para curtir a nossa pista”, afirmou.

Outra atleta que também conheceu o percurso é Danilas Ferreira (Trinks Brasil Racing) da Elite Feminina. “Tenho feito treinos na pista, é dura, técnica, tem bastante subida, obstáculos, saltos, rock garden. Uma dica para os atletas terem mais desempenho, é treinar bastante saltos e subidas, porque vai exigir muito”, explicou.

Segundo Rogério Bernardes, organizador do evento, desde a primeira visita ao local em 2019 já foi possível ver o potencial do percurso. “Muito espaço, topografia excelente, localização espetacular, perto da Via Dutra, e uma pista que tem campo de visão excelente para interação dos atletas com público e equipes. O tempero que faltava veio com o trabalho do Valmor Hausmann que modernizou a pista, tornando-a desafiadora e divertida. Nosso compromisso era deixá-la pronta com antecedência para que os atletas da cidade, região e de outros estados pudessem conhecer o traçado e treinar, e conseguimos alcançar nosso objetivo com apoio da Prefeitura Municipal de Taubaté”, explicou Rogério.

Esta será a primeira vez que Taubaté recebe uma etapa da CIMTB Michelin. “Achamos muito importante este primeiro contato dos atletas com a pista antes da etapa para aumentar a segurança e uma boa estratégia de prova por parte dos competidores. Agora é torcer para que esteja tudo bem até o evento”, completou o organizador.

Nomes dos trechos

Assim como o Descidão da Dona Beja em Araxá, a inesquecível Ladeira de Congonhas, Taubaté também terá os nomes apropriados em diversos trechos. Em busca de homenagear a cidade natal de Monteiro Lobato, o percurso foi batizado em vários locais com personagens do Sítio do Picapau Amarelo.

Após a largada, por exemplo, o competidor vai se deparar com a subida do Sítio do Picapau Amarelo, em seguida, o Slalom da Narizinho, após o Slalom do Pedrinho, o Tobogã do Rabicó, a Descida da Emília, Trilha da Tia Anastácia, Rock Garden da Cuca, Escadaria do Saci Pererê, Trilha do Curupira, Subida do Visconde de Sabugosa e, fechando, a descida da Dona Benta. Um mergulho na cultura brasileira através do mountain bike.

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário