O Tour da Polônia começou nesta quarta-feira (5 de agosto) com pequenas quedas no complicado circuito final em Katowice, mas um grave acidente na chegada foi chocante e está provocando polêmica.

Em alta velocidade, os holandeses Dylan Groenewegen (Jumbo-Visma) e Fabio Jakobsen (Deceuninck-QuickStep) duelavam nos metros finais do trajeto em descida e estavam próximos da meta. Groenewegen fez um movimento irregular na linha do sprint para a direita e Jakobsen acabou batendo nas barreiras de proteção. O ciclista da Jumbo-Visma cruzou a linha, caiu e provocou outras quedas, atingindo, inclusive, um dos comissários.

O organização confirmou que Groenewegen foi desclassificado e Jakobsen imediatamente levado ao hospital. A equipe Deceuninck-QuickStep ainda não informou oficialmente o estado do ciclista, mas, segundo declaração do porta-voz Tomasz Świerkot, do Hospital Provincial No. 5 em Sosnowiec, para o qual foi levado, em entrevista à TV polonesa, ele “está sendo operado por uma equipe de ortopedistas e cirurgiões. O estado é difícil, temos que esperar.” Diversos ciclistas estão postando mensagens de apoio a Jakobsen nas redes sociais.

Outros atletas também tiveram que passar por atendimento médico, como Marc Sarreau (Groupama-FDJ), que sofreu fraturas e está fora da competição.

O Tour da Polônia, em cinco etapas, começou com uma homenagem ao ciclista Bjorg Lambrecht, que tragicamente caiu e morreu há exatamente um ano nesta mesma competição. Lambrecht, que tinha de 22 anos e integrava a equipe Lotto-Soudal, estava em seu segundo ano como profissional, era uma grande promessa do esporte e foi o melhor jovem da Criterium du Dauphine de 2019.

Na etapa de abertura, as equipes Deceuninck-QuickStep e Jumbo-Visma, além da Bora-Hansgrohe, controlaram a disputa para levar Jakobsen, Groenewegen e Pascal Ackermann (Bora-Hansgrohe) para a chegada. A 29 quilômetros da meta, um acidente derrubou Wilco Kelderman (Team Sunweb) e John Degenkolb (Lotto-Soudal), entre outros, mas tudo parecia relativamente bem. Na última volta em torno de Katowice, a Trek-Segafredo, a CCC e a Ineos buscavam controlar. Faltando 7 km, Sebastian Molano (UAE Emirates) caiu. Outros acidentes continuaram até o quilômetro final e o sprint foi confuso, com Ackermann, Groenewegen e Jakobsen.

A organização da prova ainda não divulgou como ficarão as classificações.

A equipe Jumbo-Visma divulgou a seguinte declaração sobre o acidente: “Nossos pensamentos se voltam para Fabio Jakobsen e para as outras pessoas envolvidas no terrível acidente de hoje no Tour da Polônia. Falhas como essas não devem acontecer. Oferecemos nossas sinceras desculpas e discutiremos internamente o que aconteceu antes que possamos fazer qualquer declaração adicional”.

Em nota, a UCI (União Ciclística Internacional), disse: “A UCI condena veementemente o comportamento perigoso do ciclista Dylan Groenewegen (Jumbo-Wisma), que jogou Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quickstep) para as barreiras a poucos metros do final, causando um acidente coletivo no final da primeira etapa do Tour da Polônia. Groenewegen foi desclassificado da prova pelo painel dos comissários. A UCI, que considera o comportamento inaceitável, remeteu imediatamente a questão à Comissão Disciplinar para solicitar a imposição de sanções proporcionais à gravidade dos fatos. Nossa Federação está de todo coração com os ciclistas afetados.”

Fonte: Bike Magazine

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário