A pele sofre ação de fatores que podem comprometer a sua integridade e no esporte, inclusive no ciclismo.

A pele é o maior órgão do corpo humano, totalizando aproximadamente 15% de seu peso. Representa o revestimento do organismo, isolando-o do ambiente externo. É formada por uma complexa estrutura de tecidos, a epiderme e a derme, estando adaptada a exercer diferentes funções, como proteção física, regulação da temperatura corporal, proteção contra a desidratação, fazendo parte do sistema imunológico e atuando no metabolismo produzindo a vitamina D. É um órgão sensorial, atuando na percepção da temperatura, pressão, dor e movimento.

A pele sofre ação de fatores que podem comprometer a sua integridade e no esporte, inclusive no ciclismo, esses fatores são maximizados, acarretando desde um simples desconforto até lesões mais severas.

As assaduras são relativamente comuns após a prática esportiva e ocorrem pela combinação do atrito, suor, pele sensível e comprometimento da resistência da pele. São caracterizadas por uma irritação – inflamação chamada dermatite – em certas áreas como a parte interna das coxas, virilha e períneo, notando-se uma vermelhidão, ardor ou mesmo dor local. A assadura é transitória e tende à cura espontânea com a interrupção da atividade física. Deve-se suspeitar de outra causa, por exemplo, uma micose, quando tende a persistir mesmo após a inatividade física, neste caso, recomenda-se uma avaliação com dermatologista.

PrevençãoTratamento
Manutenção da hidratação, elasticidade e integridade da pele através de produtos dermatológicos (A.G.E.: ácidos graxos essenciais, Chamois creme, dexpantenol).Limpeza cuidadosa da pele, com água e sabão neutro.
Utilização de vestimenta adequada para a prática do ciclismo que assegure conforto, proteção, adequada aeração e rápida evaporação do suor.Uso de antisséptico, de preferência uma solução aquosa de clorexedina, não alccólica e hipoalergênica para prevenção de infecções.
Regulagem perfeita da bicicleta através de um bike fit.Pomada dermatológica à base de dexpantenol (vitamina B5).
Bons hábitos alimentares e boa hidratação.Havendo infecção, recomenda-se a utilização de antibiótico tópico.
Correta higiene corporal e limpeza das roupas utilizadas na prática do ciclismo.

Fonte: Revista Bicicleta

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário