UCI busca novo local.

O Campeonato Mundial de Ciclismo de Estrada e Contrarrelógio de 2020, programado para 20 a 27 de setembro em Aigle-Martigny, está cancelado. A decisão foi tomada oficialmente nesta quarta-feira (12 de agosto) pela confederação suíça depois da prorrogação das medidas contra a pandemia coronavírus pelo governo até outubro. Uma das medidas é a restrição de participação de até mil pessoas em eventos esportivos.

A UCI confirmou que está em busca de um novo local para a realização de pelo menos algumas das corridas programadas. “O Comitê Organizador do Campeonato Mundial de Estrada UCI 2020 Aigle-Martigny tomou nota da Portaria do Conselho Federal Suíço sobre medidas para combater a epidemia de Covid-19 em situações especiais, que estipula que grandes eventos com mais de 1.000 visitantes ou envolvendo mais de 1.000 pessoas estão proibidas até 30 de setembro de 2020 “, informa o comunicado divulgado pela UCI.

“Com isso, a organização do Campeonato Mundial de Estrada UCI 2020 em Aigle e Martigny é impossível, tanto mais que 45 países estão sujeitos a quarentena para entrada na Suíça em 8 de agosto, o que não permitiria que o evento tivesse o desejado impacto e privaria um grande número dos 1.200 ciclistas, desde juniores a elite, de 90 países, da oportunidade de vir e defender as suas oportunidades”, continua a UCI.

“Com 11 provas ao longo de oito dias, as especificidades de uma corrida de circuito em termos de distanciamento social e fluxo de espectadores constituem um obstáculo intransponível com fortes constrangimentos”.

Grégory Devaud e Alexandre Debons, co-presidentes da comissão organizadora, disseram estar “tristes e decepcionados” com a notícia. “Trabalhamos muito por quase dois anos para preparar um evento magnífico em um percurso extraordinário”, disseram eles. “Mas estamos cientes de que a situação da saúde nacional e mundial exige medidas cautelares”.

O presidente da UCI, David Lappartient, disse no mês passado que “não havia um plano B” para o Campeonato Mundial caso a Suíça não pudesse sediar as corridas. Mas, agora, o “Plano B” será mais do que urgente. Entre as sugestões de novos locais está a Itália, onde os casos de Covid-19 permanecem sob controle. As regiões Emilia Romagna e Veneto lideram as apostas. A Emilia Romagna sediou a Grande Partenza do Giro d’Italia 2019 e espera receber o primeiro Tour de France Grande Départ italiano. Mas o presidente da Federação Italiana, Renato di Rocco, já declarou que as regiões italianas não têm recursos financeiros para organizar rapidamente um grande evento.

A UCI confirmou o prazo de 1º de setembro para qualquer decisão final.

Fonte: Bike Magazine

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário