O italiano da equipe Ineos venceu a disputa em Ímola, na Itália, com o tempo de 35min54s no percurso de 31,7 km.

Filippo Ganna conquistou nesta sexta-feira (25 de setembro) o primeiro título mundial de contrarrelógio para a Itália. O italiano da equipe Ineos venceu a disputa em Ímola, na Itália, com o tempo de 35min54s no percurso de 31,7 km. Com uma média horária de 53 km/h, o novo campeão mundial foi 27 segundos mais rápido do que o segundo colocado, o belga Wout Van Aert. O suíço Stefan Küng foi o 3º, a 30 segundos.

Pódio do contrarrelógio

Nesta temporada de corridas pós-pandemia, a nova geração do ciclismo está se destacando. Ganna, que é do Piemonte, tem 24 anos e uma carreira de sucesso no ciclismo de pista, com quatro vitórias mundiais na perseguição individual. O ciclista, terceiro colocado na crono no Mundial de Yorkshire, em 2019, venceu o contrarrelógio final da Tirreno-Adriático dia 14 de setembro e mostrou que estava muito bem preparado para a disputa da camisa arco-íris.

“É um sonho. Na chegada tive um apoio muito bom no carro e agradeço a toda a equipe da seleção italiana e a Ineos. Já venci quatro camisas arco-íris na pista, mas esta é a minha primeira no contrarrelógio”, disse Ganna. “Estou muito feliz. Eu não estava sentindo muita pressão. Fiquei com amigos nestes últimos dias, apenas para conversar e pensar em qualquer coisa menos no Mundial.”

Vale lembrar que, na história, este é o primeiro ouro da Itália no contrarrelógio, depois de duas pratas com Andrea Chiurato em 1994 e com Andrea Malori em 2015 e o já citado bronze do próprio Ganna no ano passado.

A Itália venceu, mas a equipe Ineos, que colocou Ganna, Geraint Thomas e Rohan Dennis para treinar juntos na mesma “bolha” anti-Covid 19, emplacou seus três ciclistas no Top 5. Ganna venceu, Geraint Thomas terminou em 4º e o bicampeão mundial Rohan Dennis ficou em 5º.

Enquanto os últimos dez ciclistas largavam, Geraint Thomas registrava um impressionante tempo de 18’41 ” após 14,9 km. O dinamarquês Mikkel Bjerg, três vezes campeão mundial de crono Sub 23 (2017, 2018, 2019) mostrou que estava à altura e cruzou com 37’41 ” na linha, o terceiro melhor tempo na classificação provisória. Jasha Sutterlin, da Alemanha, também fez um segundo tempo forte. Mas as performances foram ofuscadas pelo galês Thomas, que voou em direção à primeira posição: 36’31 ’’. Outro jovem talento, o norueguês de 21 anos Andreas Leknessund conquistou o segundo melhor tempo provisório, 52 ” atrás de Thomas, enquanto muitos dos favoritos ainda estavam na estrada.

A maioria, porém, não conseguiu acompanhar o ritmo de Thomas após 14,9 km. Apenas dois foram capazes de definir um tempo intermediário mais rápido do que ele: seus companheiros de equipe Ganna, com um incrível tempo de 18’05 ’’ (35 ’’ mais rápido que Thomas), e Dennis (18’26 ’’). O italiano, que já havia conquistado sua quarta camisa arco-íris na perseguição individual no velódromo de Berlim no início do ano, seguiu forte e levou a camisa arco-íris. Na chegada, recebeu os cumprimentos de Thomas.

A prova de contrarrelógio contou com 56 ciclistas de 38 países.

TOP 10

1 Filippo Ganna (Itália) 0:35:54
2 Wout van Aert (Bélgica) 0:00:27
3 Stefan Küng (Suíça) 0:00:30
4 Geraint Thomas (Grã-Bretanha) 0:00:37
5 Rohan Dennis (Austrália) 0:00:40
6 Kasper Asgreen (Dinamarca) 0:00:47
7 Rémi Cavagna (França) 0:00:48
8 Victor Campenaerts (Bélgica) 0:00:53
9 Alex Dowsett (Grã-Bretanha) 0:01:06
10 Tom Dumoulin (Holanda) 0:01:14

Fonte: Bike Magazine

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário