Competição entra na reta final com João Almeida na liderança e concorrência com sede de vitória.

No último domingo, o português João Almeida superou o primeiro de seus principais obstáculos na luta para manter a camisa rosa do Giro até o fim da competição. Isso porque, na chegada ao alto da etapa mais dura do Giro até agora, o jovem de apenas 22 conseguiu manter-se à frente de Wilco Kelderman na classificação geral em um terreno pouco favorável para atletas com o seu perfil.

O ciclista da Deceuninck-QuickStep vai para 13 dias na liderança da prova, tendo passado pelas duas primeiras semanas de forma bastante limpa. Porém, vale destacar que agora o Giro parte de vez para as montanhas, com etapas que tendem a colocar o contra-relógista em grandes dificuldades.

Também é importante dizer que a chegada ao topo do Piancavallo custou ao ciclista boa parte de sua vantagem na frente, que caiu de 56 segundos para apenas 15 contra seu adversário da Sunweb.

Hoje, na entrevista do segundo dia de descanso, mais uma vez o ciclista minimizou suas chances de vencer a grande volta italiana na primeira competição. Porém, ele afirma que nada é impossível.

“Não, ainda não posso acreditar. Só vou acreditar quando entrar contrarrelógio da etapa 21 de camisa rosa. Aí sim vou acreditar que consigo. Mas, até lá, tudo é possível”, afirmou.

Dose extra de confiança

Mesmo com a perda de tempo, Almeida saiu da etapa de domingo com um adicional em sua dose de confiança. Isso porque, durante a aceleração da Sunweb, ele saiu-se muito melhor do que muitos poderiam esperar. Outros ciclistas como incenzo Nibali (Trek-Segafredo) e Jakob Fuglsang (Astana) perderam muito mais tempo do que ele, por exemplo.

“Foi duro. Andei no limite pelos últimos 6km. O objetivo era perder o mínimo possível para manter a rosa, mas estava no meu limite”, afirmou o português, explicando ter ficado surpreso com seu próprio desempenho.

“Ontem me senti muito bem, o que foi uma surpresa. Fiz o melhor exforço de 40 minutos da minha vida, então posso dizer que estou orgulhoso de mim mesmo”, disse.

Agora, com seus principais adversários e apenas Kelderman em distância de ataque, o jovem português deve tentar defeder sua liderança com unhas e dentes. Porém, caso ele perca a rosa, um segundo lugar em sua primeira grande volta certamente seria um prêmio espetacular.

“Acho que é possível se eu manter a consistência que tive até agora. Mas, uma corrida de três semanas é algo que nunca fiz, então se tiver um dia ruim ou me sentir vazio, não tem muito o que eu possa fazer. Acho que vamos descobrir nos próximos dias”, finalizou.

Últimas etapas

Classificação geral

1 Joao Almeida (Por) Deceuninck-Quickstep 59:27:38
2 Wilco Kelderman (Ned) Team Sunweb 0:00:15
3 Jai Hindley (Aus) Team Sunweb 0:02:56
4 Tao Geoghegan Hart (GBr) Ineos Grenadiers 0:02:57
5 Pello Bilbao (Spa) Bahrain McLaren 0:03:10
6 Rafal Majka (Pol) Bora-Hansgrohe 0:03:18
7 Vincenzo Nibali (Ita) Trek-Segafredo 0:03:29
8 Domenico Pozzovivo (Ita) NTT Pro Cycling 0:03:50
9 Patrick Konrad (Aut) Bora-Hansgrohe 0:04:09
10 Fausto Masnada (Ita) Deceuninck-Quickstep 0:04:12

Fonte: pedal.com.br

Sobre o autor

Avatar

Imprensa FPC

Deixe um comentário